NOTÍCIAS - SINDEPES

Fomento à pesquisa

PLURALIDADE E ELETROPOSTOS

A FAPDF deu posse aos membros de seu novo Conselho Superior. Segundo o presidente da FAPDF, Alexandre de André dos Santos, a nova composição dos assentos do Conselho “está bem mais pluralizada, democrática”. Ele definiu o Conselho como espaço qualificado de reflexão dos rumos do DF. “Não se muda a matriz econômica se não aproveitamos os produtos daqui, com a base tecnológica da região”, disse. Para ele, Brasília tem potencial para estar, em cinco anos, entre os primeiros polos de inovação na área ‘governo-tecnologia’.

Representando o setor produtivo empresarial, Ricardo Caldas agradeceu ao novo governo por abrir mais espaço na FAPDF aos empresários locais. O Conselho garantiu mais assentos ao setor. Caldas disse que espera que haja mais interação entre a UnB e as escolas particulares junto com as entidades produtivas, “para que venham mais rapidamente os novos produtos”.

O secretário de Estado de Ciência e Tecnologia, Gilvan Maximo, mostrou otimismo em relação ao fomento de pesquisas apesar da burocracia excessiva, que trava o andamento dos negócios. “Precisamos de mais dinheiro e de encher a FAPDF de projetos”, disse. O secretário anunciou, em primeira mão, publicamente, que a BMW vai doar 26 carros elétricos para o GDF, para uso dos secretários locais e uso compartilhado de servidores da Esplanada dos Ministérios. Com isso, Brasília também terá seus primeiros ‘eletropostos’. Outra boa nova é que empresários e agentes públicos presentes ao evento confirmaram que esforços estão sendo acelerados para que realmente, nesse governo, o ‘parque tecnológico’ saia do papel.

O Conselho Superior da FAPDF, entre outras atribuições, vai determinar o destino dos recursos para a ciência e tecnologia no DF. O Conselho terá representantes de várias entidades, entre elas EMBRAPA, SEBRAE, FIBRA, SBPC, EMATER, JARDIM BOTÂNICO, GDF, BIOTIC, UnB, CODEPLAN, FEPECS e SINDEPES/DF.

Os representantes dos mantenedores de ensino superior particular no Conselho são: Beatriz Maria Eckert-Hoof, reitora da UDF; e Márcio Pereira Dias, diretor executivo estratégico da UBEC.

Diploma digital

 O SINDEPES/DF  promoveu um encontro em sua sede para esclarecer aos dirigentes das faculdades do DF aspectos e conceitos da Portaria 554, do gabinete do ministro da Educação, de 11 de março de 2019, que torna obrigatória às IES, públicas e privadas, a emissão e o registro do diploma dos cursos de graduação por meio digital. 

 

O prazo de transição é de dois anos, a partir dessa data. A Portaria 554 esclarece disposições contidas também em instrumento anterior; a Portaria 1.095, de 25 de outubro de 2018.

 

O encontro/apresentação foi com representantes da empresa ‘e-Sec’, especializada em soluções tecnológicas e digitais, que em parceria com a UnB tem trabalhado essa questão específica com o MEC. Vários colaboradores da área de atendimento das faculdades do DF compareceram ao evento.

 

Clique aqui e veja o teor da Portaria.

Nova economia e nova educação

Dirigentes e colaboradores das IES associadas compareceram à sede do SINDEPES/DF para participarem do seminário O ENSINO SUPERIOR A NOVA ECONOMIA & A NOVA EDUCAÇÃO, com os palestrantes professor Carlos Monteiro e professora Lígia Pimenta. Ambos falaram da influência das transformações digitais sobre o universo do trabalho. Para eles, as matrículas do ensino superior presencial está em queda. De acordo com os dois, nos próximos 20 anos, 50% dos atuais empregos, como são conhecidos, deixarão de existir.

 

O diretor da Faculdade LS, Thiago Silva, juntamente com os palestrantes Carlos Monteiro, Lígia Pimenta, e o diretor do Uni Projeção, João Paulo Figueiredo

Professor Carlos Monteiro frisa aos presentes as mudanças consideradas ‘disruptivas’

Crédito para:

Jackson Sena

SINDEPES/DF

A Vanguarda na sala de aula

Com esse artigo abaixo, publicado também nos sites da ABMES, e do SEMESP, o SINDEPES/DF inicia campanha para que o MEC venha a abrir espaço para a contratação de professores sem titulação de mestrado. Conheça os motivos e argumentos que movem a campanha.

Maurício Neves
Presidente do Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos Particulares de Ensino Superior do Distrito Federal – Sindepes/DF

Desde 2012, a Folha de São Paulo vem publicando o Ranking Universitário Folha (RUF), cruzamento de informações sobre ensino e pesquisa nas universidades públicas e particulares do país. Quando o caderno foi lançado, o jornal havia sublinhado o fato de que entre as 50 universidades mais pontuadas, 22 eram particulares, “num claro indicativo de que é possível oferecer ensino adequado às necessidades de empregadores mesmo sem produzir boa pesquisa”. A publicação ressaltava que professores que desenvolvem investigações científicas têm, a princípio, mais condições de oferecer formação qualificada aos alunos, mas, ainda de acordo com o editorial, isso não quer dizer que universidades mais voltadas para o ensino não tenham um papel a desempenhar. O editorial chegava ao fim preconizando as diferenças: “seria útil para o país admitir que prosperem diferentes tipos de universidades – as de pesquisa, voltadas para a formação de quadros, e as de ensino, especializadas em diplomar bons profissionais de nível superior”.

Veja texto completo aqui

Reunião Sindepes - Maio/2018

Mantenedores reunidos em Assembleia na sede do SINDEPES/DF: importantes decisões para a categoria